[Fanfic]Diabolik Lovers: Sadist Dark Bride


Tópico em 'Fanfics & Fanworks' criado por anachan em 09/10/2013, 00:04.
2 respostas neste tópico
 #1
Eu podia estar escrevendo meus contos, mas... saiu isso aí, não pude evitar. Icon_lol
Baseado no que aconteceria se certas fujoshis do forum fossem a MC de um certo otome game...


Diabolik Lovers: Sadist Dark Bride - I

Yara arrastava sua mala de rodinhas pela calçada enquanto checava novamente o endereço do papel em sua mão. Ainda não acreditava que seu pai a deixara morar sozinha na capital, tudo bem que seria uma república de garotas, mas... mesmo assim, parecia um novo mundo cheio de possibilidades! Sentia arrepios de excitação na espinha só de pensar nisso.

– OUCH! – tão sonhando acordada estava que se distraiu e acabou trombando em outra pessoa, caindo ao chão com mala e tudo. Ao olhar pra frente, viu uma jovem loira muito bonita vestindo um conjunto rosa.

[Imagem: dfbp.png]

– Ah... me desculpe... eu me distraí... – a voz dela e seus olhos rosados eram tão encantadores que Yara sentiu um desejo repentino de enfiá-la na mala e levá-la embora, mas se controlou. Seus amigos já comentavam sobre seus rompantes meio sádicos e esquisitos, mas o que podia fazer? Tudo que era lindo no mundo a atraía quase misticamente.

– Não se preocupe senhorita!!!! Tudo bem, tudo bem, essas coisas acontecem!!! – Yara levantou-se rapidamente recolhendo seu papel e as malas, e ajudando a moça a se levantar. Ela também carregava uma mala, e recolheu o papel que também carregava nas mãos.

– Desculpe de novo... eu...eu...

– Está de mudança também? – tentou quebrar o gelo, pois a garota parecia muito envergonhada. Quem sabe com sorte conseguisse o telefone dela. – Eu cheguei na cidade hoje, estou indo pra minha nova casa! Meu nome é Yara!

– Oh... eu também... o mesmo...eu sou... Yui.... prazer. -ela sorriu de leve, mas corou mais ainda e pareceu desajeitada – eu preciso ir... muito obrigada... e desculpe, de novo!

– Oh, tudo bem. Então... boa sorte pra nós! – é, não foi dessa vez. Yara sorriu e acenou para a garota, voltando a caminhar depois que ela se afastou. Decidiu colocar o endereço do papel no google maps do celular, para facilitar. Como era meio avoada, nem tentara decorar o nome da rua.

– Nossa, era tão longe assim? Parece que não estou nem um pouco perto... bem,vamos lá!


– WOW! – depois de quase uma hora, Yara finalmente chegou ao endereço indicado no papel. Era melhor do que seus sonhos mais loucos: um enorme casarão no estilo gótico, emanando uma aura de mistério. Empolgadíssima, entrou sem bater já imaginando o tamanho das banheiras e o cardápio do lugar, caso seguisse o padrão da construção.

– Será que tem um mordomo? Se tiver, podia ser tipo o Sebastian....huhuhu.

Entretanto, o enorme salão principal estava completamente vazio e silencioso. Yara largou a mala em um canto e espreguiçou-se, olhando melhor o espaço meio escuro. Conseguiu discernir, em um dos cantos, um garoto dormindo tranquilamente em um sofá confortável.
E não era um garoto qualquer.
Ele era, como dizer...

Uau. Gato. Não tem cara de mordomo, mas... até que serviria, não? Só falta o fraque.

Yara não resistiu à tentação de aproximar-se. Ele era ainda mais lindo de perto, uma estátua de cera esculpida perfeitamente.

– Nem parece respirar...

Ela estendeu a mão suavemente e com intenção velada, mas foi surpreendida ao ver que ele a segurou pelo pulso, os olhos abertos muito profundos.

Que. Olhos.

No instante seguinte, ele a puxou para o sofá, deitando-se sobre ela, com uma expressão fria no rosto.
Yara não podia acreditar.
Então era isso que o destino reservara a ela?
Não poderia prever isso...

[Imagem: jxk3.jpg]

É tipo bom demais pra ser verdade.

– Ehh? Nem sei quem é você, mas... o cheiro não é nada mal... – ele finalmente falou, com uma voz tão sensual quanto todo o resto. Yara riu e coçou a cabeça, ainda esperando que as câmeras aparecessem e alguém gritasse que era uma pegadinha do malandro, ou trote da república.

Mas não parecia ser encenação quando ele se inclinou, lambendo o pescoço dela sem aviso. Yara DEFINITIVAMENTE sentiu-se arrepiar inteira.

– WOW! Eu ainda nem sei seu nome, moço! Não que esteja reclamando e tal!!!

Ela abraçou a cabeça dele com uma força que ele não esperava, e o fez soltar um gemido abafado.

– Oe! Qual a sua, garota? – ele a encarou zangado por um instante, mas no momento seguinte pareceu surpreso – ei, que olhar é esse?

–O que parece pra você, fofo? – ela rolou no sofá, ficando por cima dele – Foi você quem começou, e apesar dessa pele fria você parece vivo o suficiente... ou estou errada?

Ela deslizou os dedos pelo pescoço dele, que permanecia estático com a boca semiaberta, como se tentasse processar uma situação inimaginável que acontecia diante de seus olhos.

– Que canino saltado FOFO você tem, sabia? – Yara ensaiou se inclinar para beija-lo, mas uma voz autoritária chamou a atenção deles antes disso.

[Imagem: i8v1.jpg]

– Eu já não disse para não fazer refeições na sala de estar, Ayato?

– Não é mesmo esse o caso, Reiji!!!

Yara virou-se e mal podia acreditar no que via. Mais um cara lindo, esse de óculos e ares elegantes.

– SEBASTIAN!!! – ela saltou de Ayato usando seu estômago como trampolim e fazendo-o se contorcer por um minuto. Ignorando isso, parou curiosa em frente ao jovem sério de óculos.

– Olá! Meu nome é Yara Kawai e meu pai me mandou nesse endereço. Você é o mordomo? Onde posso tomar um banho?

– Eu não sou... mordomo – ele ajeitou os óculos, parecendo incomodado – Sou Reiji Sakamaki, o segundo irmão da família. Aquele é Ayato, o quinto.

– Irmãos??? Tá de brincadeira. E todos são assim lindos e saidinhos como o Ayachin?

– AYACHIN??? – o ruivo gritou com ódio, levantando-se e se aproximando, mas parou a um sinal de Reiji.

– Espere, precisamos esclarecer essa situação. Eu não fui informado de garota nenhuma vindo. Você sabe algo sobre isso.. Shuu?

Ele se voltou a uma direção aparentemente vazia, mas Yara percebeu que outro rapaz tão lindo e charmoso quanto os outros estava deitado em outro sofá, com fones de ouvido e parecendo desinteressado. Ele clamou não saber de nada.

– Será que ela seria... a noiva? – um rapaz de chapéu e ar de malandro chegou no salão, acompanhado de um garotinho que parecia jovem demais pra ter olheiras tão grandes, mas velho demais pra carregar um ursinho de pelúcia daqueles.

– Ela parece ter um bom sabor...

– Você não é meio novo pra isso, garotinho? – Yara riu de leve, mas logo foi repreendida por Reiji.

– Você parece ser grosseira demais para o papel da ''noiva', vocês não acham?

– Eu até gosto disso, sabe? – um rapaz de cabelos, brancos, o último a entrar na sala, mediu Yara de cima a baixo.

– Subaru. Bem que combina com você.

– Corta essa! – Ayato gritou, apontando o dedo ameaçadoramente pra Yara – essa louca me atacou sem dó e...

Ele silenciou como se tivesse falado uma grande bobagem, e todos os outros olharam para ele estupefatos. O garotinho riu abertamente, deixando Ayato furioso.

– E você foi ATACADO por uma garota humana, Ayato? Engraçado, muito engraçado!

– Não se atreva a rir de mim, Kanato, seu moleque imprestável!

Parem, vocês. – com uma ordem, Reiji os fez congelar e depois olhou duramente para Yara – Agora, a seu respeito...

– O pai dela a mandou aqui. Não é pra matarmos. – Shuu disse repentinamente, e Reiji revirou os olhos pela demora.

– Então ela é mesmo quem esperamos...

– Matar? Como assim? O que tá rolando?

[Imagem: o5sh.jpg]

Yara percebeu que todos eles tinham caninos afiados e uma pele muito pálida, além de olharem para ela de uma maneira particularmente sedenta. Lembrou-se que Ayato lambera seu pescoço sem fazer cerimônia...

– Falando desse jeito parece que vocês são.. .vampiros, haha. – ela jogou a ideia, e o silêncio foi mais que o suficiente para comprovar. De alguma forma, mesmo que parecesse absurdo, estar ali dava a ela plena certeza de que era verdade.

O clima ficou pesado por alguns momentos, até a campainha soar de repente. Pelas expressões de todos, isso não era nada comum. Reiji tomou a iniciativa de abrir, e deu com uma garota mais baixa que Yara, de óculos e expressão séria, parecendo mais velha.

– Meu nome é Yoruko Ryuu. Meu pai me mandou aqui.

Uma expressão confusa tomou conta da face dos vampiros e de Yara também, mas de alguma forma isso lhe dava tempo de pensar na situação. Como Reiji não se moveu, Ryuu tomou a próxima atitude.

– Com licença, está chovendo, estou entrando. Obrigada.

Ela deixou a mala junto a de Yara, e como era a única menina do salão, foi até ela.

– Está um tempo horrível lá fora. Odeio chuva! Meu nome é Ryuu. E o seu?

– É... Yara, heh. Você também veio morar aqui?

– É o que parece. Achei que seria uma república cheia de meninas estúpidas, mas é um casarão medieval! Adoro arquitetura antiga, sabe. E pelo visto tem mais homem que mulher por aqui. Achei que você trabalhasse aqui, não é isso?

– Er, não... pelo visto quem trabalha aqui são eles... – Yara piscou para Ayato, que rosnou de leve, mas não se moveu. Raito riu abertamente dessa vez, voltando a Reiji.

– Ah eu gosto delas, sabe? Podemos ficar com as duas?

– Até entendermos o que se passa... não vejo outra alternativa. – ele ajeitou o óculos seriamente mais uma vez, enquanto Kanato se aproximava das duas garotas, e Ryuu parecia bastante receptiva a ele.

O que esses vampiros ainda não sabem é que acabam de abrigar duas noivas sádicas sob seu teto! Como irão reagir a isso?

Continua....

[Imagem: qh62.jpg][Imagem: lrjq.jpg]
Responder
 #2
Amei!!!

[Imagem: GifAnimado540_zps68e6998d.gif]
Responder
 #3
Caaaaraa, que lindo! Escritores de otome game deviam aprender com você! Muito assim! Yara Kawai? Então, tá... Se Otome game fosse assim eu me mudava pro japão.
@anachan sua linda!
[Imagem: tumblr_mcw6r5G4jD1r5e8xxo1_400.gif]
Responder

Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes