[Letras de músicas]


Páginas (10): « Anterior 1 2 3 4 5 ... 10 Próximo »
93 respostas neste tópico
 #21
É pra postar letras fodas né.

Bad Religion - Whisper in Time

Spoiler: letra  

All those stories that my dad told me, they are just a
whisper in time
All those things that never came to be, they are just a whisper in time

A whisper in time, a whisper in time
Things that I can't shake from my mind
A whisper in time, a whisper in time
Moments that just flicker and die
(Memories that flicker and die)

All those places I wanted to go, they are just a
whisper in time
All those friends who now I do not know, they are just a whisper in time

Maps and roads that brought me here today, they are just a whisper in time
Circumstances that were explained away, they are just a whisper in time

... we are messengers of memory, just whispers in time
Responder
 #22
Todo mundo só posta letra americana/japonesa... Vou então eu mesmo postar uma brasileira.

Naquela Mesa - Nelson Gonçalves
Citar:Naquela mesa ele sentava sempre
E me dizia sempre o que é viver melhor
Naquela mesa ele contava histórias
Que hoje na memória eu guardo e sei de cor
Naquela mesa ele juntava gente
E contava contente o que fez de manhã
E nos seus olhos era tanto brilho
Que mais que seu filho
Eu fiquei seu fã
Eu não sabia que doía tanto
Uma mesa num canto, uma casa e um jardim
Se eu soubesse o quanto dói a vida
Essa dor tão doída, não doía assim
Agora resta uma mesa na sala
E hoje ninguém mais fala do seu bandolim
Naquela mesa ta faltando ele
E a saudade dele ta doendo em mim
Naquela mesa ta faltando ele
E a saudade dele ta doendo em mim
Responder
 #23
La Poderosa Muerte (Los Jaivas/Pablo Neruda)

¿Qué era el hombre?
¿En qué parte de su conversación abierta
entre los almacenes y los silbidos
en cual de sus movimientos metálicos
vivía lo indestructible, lo imperecedero, la vida?

Todos desfallecieron esperando su muerte
su corta muerte diaria
y su quebranto aciago de cada día
era como una copa negra que bebían temblando.

Entonces de la escala de la piedra he subido
entonces de la escala de la piedra he subido
entre la atroz maraña de la selvas perdidas
hasta tí, Macchu Picchu.
Alta ciudad de piedras escalares
Por fin morada del que lo terrestre
no escondió en las dormidas vestiduras
En tí, como dos lineas paralelas
la cuna del relámpago y el hombre
se mecían en el viento de espinas
Madre de piedra, espuma de los cóndores
alto arrecife de la aurora humana.

Cuando la mano de color de arcilla
se convirtió en arcilla
y cuando los pequeños párpados se cerraron.
Llenos de ásperos muros, poblados de castillos
y cuando todo el hombre se enredó en su agujero
quedó la exactitud enarbolada
El alto sitio de la aurora humana
la más alta vasija que contuvo el silencio
una vida de piedra después de tantas vidas.
Responder
 #24
Headphone actor

Música e letra: Jin
Cantora: IA

Original:

Spoiler:  
sono hi wa zuibun to heibon de
atarisawari nai ichi nichi datta
himatsubushi ni kii te ta rajio (radio) kara
ano hanashi ga nagaredasu made wa

‘hijou ni zannen na koto desu ga ,
honjitsu chikyuu wa owari masu to
doko ka no kuni no daitouryou ga
naki nagara hanashi o suru made wa .

mado no soto wa ookina tori tachi ga sora ooi tsukushiteku juutai chuu
mikazuki o nomikon de dokoka he to mukatteru
yari kake te ta gēmu (game) wa nō sēbu (save)
tsukue ni hobo tetsukazu sankou sho
furueru karada o inasu youni suguni heddo fon o shita

fumei na ātisuto (artist) koumoku no
taitoru (title) fumei no nanbā (number) ga
totan ni mimimoto nagaredashita
ikinokori tai deshou

ugomeki dasu sekai kaijou o
namiutsu you ni yureru matenrou
magire mo nai kono koe wa dou kii te mo
kiki aki ta jibun no koe da

ano oka o koe tara ni-ju-byou de
sono imi o iya demo shiru koto ni naru yo .
utagawa nai de . mimi o sumase tara ni-ju- byou saki he

kousaten wa touzen dai juutai
mou rounyakunannyo wa kankei nai
dogou yara akanbou no nakigoe de umatte iku

abaredasu hito naki dasu shoujo
inori dashita shinpu o oinui te
tada hitori mezasu no wa gyaku houkou
ano oka no mukou he to

heddo fon kara izen koe ga shite
ato ju-ni fun da yo to tsugeru
kono mama subete kiesatte shimau nara mou subei wa nai darou

zawameki dasu himei gasshou o
namida me ni natte kasumeru ju-byou

utagai tai kedo dare ga dou yatte mo
owara nai jinrui sanka

kakenukero , mou nokori ichi fun da .
sono kotoba mo mou kikoe nai kurai ni

tada mezashite ita oka no mukou wa
sugu me no mae ni

iki mo taedae tadoritsui tan da
sora o utsushidasu kabe no mae ni
sono mukou hakui no kagakusha tachi wa
subarashii to te o utta

utagau yo .

soko kara miru machi no fuukei wa
marude jikken shisetsu no you de sa

mou fu hitsuyou da .
kagakusha wa katatema ni bakudan o nageta

hako no naka no chiisana sekai de
ima made zutto ikite kitan dana to

Tradução em inglês:

Spoiler:  
It was an extremely average day,
Without a single obstacle in my path
Until I was bored, listening to the radio,
And I heard this said:
"It's very unfortunate I have to say this,
But the world is going to end today"
So said some country's president,
In tears as he spoke.
Out the windows was a huge flock of birds,
Congesting to cover up the sky
Swallowing up the crescent moon,
Headed some unknown direction...

I had a half-shinnied game with no save;
A scarcely-touched textbook lay on my desk
And to stop my body from trembling,
I promptly put on my headphones

Just as I was listening to an obscure artist,
A number they did with an unknown title,
Just as it came to my ears, I heard:
"You want to survive, yes?"

Waving over the wriggling world,
The skyscrapers seemed to tremble
This voice seemed unmistakable:
It was my own, which I tired of hearing
"If you cross that hill, then in twenty seconds,
You'll know what I mean, for better or worse
Don't doubt, just listen close - go twenty seconds ahead."

The intersection was crowded, of course;
Man, woman, child, it didn't matter
I was buried under people yelling and babies' cries.

Rioting people, a sobbing girl,
A priest praying, I passed them all by
One single person headed the other way,
Towards what was beyond that hill.

The voice from the headphones persisted:
"Twelve minutes left," it told me
If everything was going to up and vanish,
Then I had no other way.

The chorus of shrieks and screams
Turned to tearful eyes in ten seconds
I had my doubts, but no matter who did what,
There was no ending humanity's song
"Run, run, there's one minute left,"
But I couldn't even hear it by then;
The hill which I thought to cross
Was right before me.

My breath faint, I finally arrived
Before a wall which projected the sky.
Behind it, scientists in white applauded;
"Magnificent," they said -
Doubt.

From there, I saw the town
Was some kind of experimental facility;
"No longer necessary,"
A scientist said, and calmly tossed a bomb
I was told I had been living
My whole life in a little world in a box.
So I could only stare, dumbfounded
At the burnt wreckage that had been the town.
And from the headphones at my ear,
I heard a faint "sorry"...
Responder
 #25
Raul Seixas - Tente Outra Vez



Spoiler:  
Veja!
Não diga que a canção
Está perdida
Tenha fé em Deus
Tenha fé na vida
Tente outra vez!

Beba! (Beba!)
Pois a água viva
Ainda tá na fonte
(Tente outra vez!)
Você tem dois pés
Para cruzar a ponte
Nada acabou!
Não! Não! Não!

Oh! Oh! Oh! Oh!
Tente!
Levante sua mão sedenta
E recomece a andar
Não pense
Que a cabeça agüenta
Se você parar
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!

Há uma voz que canta
Uma voz que dança
Uma voz que gira
(Gira!)
Bailando no ar
Uh! Uh! Uh!

Queira! (Queira!)
Basta ser sincero
E desejar profundo
Você será capaz
De sacudir o mundo
Vai!
Tente outra vez!
Humrum!

Tente! (Tente!)
E não diga
Que a vitória está perdida
Se é de batalhas
Que se vive a vida
Han!
Tente outra vez!
Responder
 #26
Legião Urbana - Faroeste Caboclo



Spoiler:  
Não tinha medo o tal João de Santo Cristo
Era o que todos diziam quando ele se perdeu
Deixou pra trás todo o marasmo da fazenda
Só pra sentir no seu sangue o ódio que Jesus lhe deu

Quando criança só pensava em ser bandido
Ainda mais quando com um tiro de soldado o pai morreu
Era o terror da sertania onde morava
E na escola até o professor com ele aprendeu

Ia pra igreja só pra roubar o dinheiro
Que as velhinhas colocavam na caixinha do altar
Sentia mesmo que era mesmo diferente
Sentia que aquilo ali não era o seu lugar

Ele queria sair para ver o mar
E as coisas que ele via na televisão
Juntou dinheiro para poder viajar
De escolha própria, escolheu a solidão

Comia todas as menininhas da cidade
De tanto brincar de médico, aos doze era professor.
Aos quinze, foi mandado pro o reformatório
Onde aumentou seu ódio diante de tanto terror.

Não entendia como a vida funcionava
Discriminação por causa da sua classe e sua cor
Ficou cansado de tentar achar resposta
E comprou uma passagem, foi direto a Salvador.

E lá chegando foi tomar um cafezinho
E encontrou um boiadeiro com quem foi falar
E o boiadeiro tinha uma passagem e ia perder a viagem
Mas João foi lhe salvar

Dizia ele: "Estou indo pra Brasília
Neste país lugar melhor não há
Tô precisando visitar a minha filha
Eu fico aqui e você vai no meu lugar"

E João aceitou sua proposta
E num ônibus entrou no Planalto Central
Ele ficou bestificado com a cidade
Saindo da rodoviária, viu as luzes de Natal

"Meu Deus, mas que cidade linda,
No Ano-Novo eu começo a trabalhar"
Cortar madeira, aprendiz de carpinteiro
Ganhava cem mil por mês em Taguatinga

Na sexta-feira ia pra zona da cidade
Gastar todo o seu dinheiro de rapaz trabalhador
E conhecia muita gente interessante
Até um neto bastardo do seu bisavô

Um peruano que vivia na Bolívia
E muitas coisas trazia de lá
Seu nome era Pablo e ele dizia
Que um negócio ele ia começar

E o Santo Cristo até a morte trabalhava
Mas o dinheiro não dava pra ele se alimentar
E ouvia às sete horas o noticiário
Que sempre dizia que o seu ministro ia ajudar

Mas ele não queria mais conversa
E decidiu que, como Pablo, ele ia se virar
Elaborou mais uma vez seu plano santo
E sem ser crucificado, a plantação foi começar.

Logo logo os maluco da cidade souberam da novidade:
"Tem bagulho bom ai!"
E João de Santo Cristo ficou rico
E acabou com todos os traficantes dali.

Fez amigos, frequentava a Asa Norte
E ia pra festa de rock, pra se libertar
Mas de repente
Sob uma má influência dos boyzinho da cidade
Começou a roubar.

Já no primeiro roubo ele dançou
E pro inferno ele foi pela primeira vez
Violência e estupro do seu corpo
"Vocês vão ver, eu vou pegar vocês"

Agora o Santo Cristo era bandido
Destemido e temido no Distrito Federal
Não tinha nenhum medo de polícia
Capitão ou traficante, playboy ou general

Foi quando conheceu uma menina
E de todos os seus pecados ele se arrependeu
Maria Lúcia era uma menina linda
E o coração dele pra ela o Santo Cristo prometeu

Ele dizia que queria se casar
E carpinteiro ele voltou a ser
"Maria Lúcia pra sempre vou te amar
E um filho com você eu quero ter"

O tempo passa e um dia vem na porta
Um senhor de alta classe com dinheiro na mão
E ele faz uma proposta indecorosa
E diz que espera uma resposta, uma resposta do João

"Não boto bomba em banca de jornal
Nem em colégio de criança isso eu não faço não
E não protejo general de dez estrelas
Que fica atrás da mesa com o cu na mão

E é melhor senhor sair da minha casa
Nunca brinque com um Peixes de ascendente Escorpião"
Mas antes de sair, com ódio no olhar, o velho disse:
"Você perdeu sua vida, meu irmão"

"Você perdeu a sua vida meu irmão
Você perdeu a sua vida meu irmão
Essas palavras vão entrar no coração
Eu vou sofrer as consequências como um cão"

Não é que o Santo Cristo estava certo
Seu futuro era incerto e ele não foi trabalhar
Se embebedou e no meio da bebedeira
Descobriu que tinha outro trabalhando em seu lugar

Falou com Pablo que queria um parceiro
E também tinha dinheiro e queria se armar
Pablo trazia o contrabando da Bolívia
E Santo Cristo revendia em Planaltina

Mas acontece que um tal de Jeremias,
Traficante de renome, apareceu por lá
Ficou sabendo dos planos de Santo Cristo
E decidiu que, com João ele ia acabar

Mas Pablo trouxe uma Winchester-22
E Santo Cristo já sabia atirar
E decidiu usar a arma só depois
Que Jeremias começasse a brigar

Jeremias, maconheiro sem-vergonha
Organizou a Rockonha e fez todo mundo dançar
Desvirginava mocinhas inocentes
Se dizia que era crente mas não sabia rezar

E Santo Cristo há muito não ia pra casa
E a saudade começou a apertar
"Eu vou me embora, eu vou ver Maria Lúcia
Já tá em tempo de a gente se casar"

Chegando em casa então ele chorou
E pro inferno ele foi pela segunda vez
Com Maria Lúcia Jeremias se casou
E um filho nela ele fez

Santo Cristo era só ódio por dentro
E então o Jeremias pra um duelo ele chamou
Amanhã às duas horas na Ceilândia
Em frente ao lote 14, é pra lá que eu vou

E você pode escolher as suas armas
Que eu acabo mesmo com você, seu porco traidor
E mato também Maria Lúcia
Aquela menina falsa pra quem jurei o meu amor

E o Santo Cristo não sabia o que fazer
Quando viu o repórter da televisão
Que deu notícia do duelo na TV
Dizendo a hora e o local e a razão

No sábado então, às duas horas,
Todo o povo sem demora foi lá só para assistir
Um homem que atirava pelas costas
E acertou o Santo Cristo, começou a sorrir

Sentindo o sangue na garganta,
João olhou pras bandeirinhas e pro povo a aplaudir
E olhou pro sorveteiro e pras câmeras e
A gente da TV que filmava tudo ali

E se lembrou de quando era uma criança
E de tudo o que vivera até ali
E decidiu entrar de vez naquela dança
"Se a via-crucis virou circo, estou aqui"

E nisso o sol cegou seus olhos
E então Maria Lúcia ele reconheceu
Ela trazia a Winchester-22
A arma que seu primo Pablo lhe deu

"Jeremias, eu sou homem. coisa que você não é
E não atiro pelas costas não
Olha pra cá filha-da-puta, sem-vergonha
Dá uma olhada no meu sangue e vem sentir o teu perdão"

E Santo Cristo com a Winchester-22
Deu cinco tiros no bandido traidor
Maria Lúcia se arrependeu depois
E morreu junto com João, seu protetor

E o povo declarava que João de Santo Cristo
Era santo porque sabia morrer
E a alta burguesia da cidade
Não acreditou na história que eles viram na TV

E João não conseguiu o que queria
Quando veio pra Brasília, com o diabo ter
Ele queria era falar pro presidente
Pra ajudar toda essa gente que só faz...

Sofrer...
Responder
 #27
(31/10/2012, 12:39)leokun Escreveu: Legião Urbana - Faroeste Caboclo

Link youtube: http://youtu.be/aM-WlzJ-wVk

Spoiler:  
Não tinha medo o tal João de Santo Cristo
Era o que todos diziam quando ele se perdeu
Deixou pra trás todo o marasmo da fazenda
Só pra sentir no seu sangue o ódio que Jesus lhe deu

Quando criança só pensava em ser bandido
Ainda mais quando com um tiro de soldado o pai morreu
Era o terror da sertania onde morava
E na escola até o professor com ele aprendeu

Ia pra igreja só pra roubar o dinheiro
Que as velhinhas colocavam na caixinha do altar
Sentia mesmo que era mesmo diferente
Sentia que aquilo ali não era o seu lugar

Ele queria sair para ver o mar
E as coisas que ele via na televisão
Juntou dinheiro para poder viajar
De escolha própria, escolheu a solidão

Comia todas as menininhas da cidade
De tanto brincar de médico, aos doze era professor.
Aos quinze, foi mandado pro o reformatório
Onde aumentou seu ódio diante de tanto terror.

Não entendia como a vida funcionava
Discriminação por causa da sua classe e sua cor
Ficou cansado de tentar achar resposta
E comprou uma passagem, foi direto a Salvador.

E lá chegando foi tomar um cafezinho
E encontrou um boiadeiro com quem foi falar
E o boiadeiro tinha uma passagem e ia perder a viagem
Mas João foi lhe salvar

Dizia ele: "Estou indo pra Brasília
Neste país lugar melhor não há
Tô precisando visitar a minha filha
Eu fico aqui e você vai no meu lugar"

E João aceitou sua proposta
E num ônibus entrou no Planalto Central
Ele ficou bestificado com a cidade
Saindo da rodoviária, viu as luzes de Natal

"Meu Deus, mas que cidade linda,
No Ano-Novo eu começo a trabalhar"
Cortar madeira, aprendiz de carpinteiro
Ganhava cem mil por mês em Taguatinga

Na sexta-feira ia pra zona da cidade
Gastar todo o seu dinheiro de rapaz trabalhador
E conhecia muita gente interessante
Até um neto bastardo do seu bisavô

Um peruano que vivia na Bolívia
E muitas coisas trazia de lá
Seu nome era Pablo e ele dizia
Que um negócio ele ia começar

E o Santo Cristo até a morte trabalhava
Mas o dinheiro não dava pra ele se alimentar
E ouvia às sete horas o noticiário
Que sempre dizia que o seu ministro ia ajudar

Mas ele não queria mais conversa
E decidiu que, como Pablo, ele ia se virar
Elaborou mais uma vez seu plano santo
E sem ser crucificado, a plantação foi começar.

Logo logo os maluco da cidade souberam da novidade:
"Tem bagulho bom ai!"
E João de Santo Cristo ficou rico
E acabou com todos os traficantes dali.

Fez amigos, frequentava a Asa Norte
E ia pra festa de rock, pra se libertar
Mas de repente
Sob uma má influência dos boyzinho da cidade
Começou a roubar.

Já no primeiro roubo ele dançou
E pro inferno ele foi pela primeira vez
Violência e estupro do seu corpo
"Vocês vão ver, eu vou pegar vocês"

Agora o Santo Cristo era bandido
Destemido e temido no Distrito Federal
Não tinha nenhum medo de polícia
Capitão ou traficante, playboy ou general

Foi quando conheceu uma menina
E de todos os seus pecados ele se arrependeu
Maria Lúcia era uma menina linda
E o coração dele pra ela o Santo Cristo prometeu

Ele dizia que queria se casar
E carpinteiro ele voltou a ser
"Maria Lúcia pra sempre vou te amar
E um filho com você eu quero ter"

O tempo passa e um dia vem na porta
Um senhor de alta classe com dinheiro na mão
E ele faz uma proposta indecorosa
E diz que espera uma resposta, uma resposta do João

"Não boto bomba em banca de jornal
Nem em colégio de criança isso eu não faço não
E não protejo general de dez estrelas
Que fica atrás da mesa com o cu na mão

E é melhor senhor sair da minha casa
Nunca brinque com um Peixes de ascendente Escorpião"
Mas antes de sair, com ódio no olhar, o velho disse:
"Você perdeu sua vida, meu irmão"

"Você perdeu a sua vida meu irmão
Você perdeu a sua vida meu irmão
Essas palavras vão entrar no coração
Eu vou sofrer as consequências como um cão"

Não é que o Santo Cristo estava certo
Seu futuro era incerto e ele não foi trabalhar
Se embebedou e no meio da bebedeira
Descobriu que tinha outro trabalhando em seu lugar

Falou com Pablo que queria um parceiro
E também tinha dinheiro e queria se armar
Pablo trazia o contrabando da Bolívia
E Santo Cristo revendia em Planaltina

Mas acontece que um tal de Jeremias,
Traficante de renome, apareceu por lá
Ficou sabendo dos planos de Santo Cristo
E decidiu que, com João ele ia acabar

Mas Pablo trouxe uma Winchester-22
E Santo Cristo já sabia atirar
E decidiu usar a arma só depois
Que Jeremias começasse a brigar

Jeremias, maconheiro sem-vergonha
Organizou a Rockonha e fez todo mundo dançar
Desvirginava mocinhas inocentes
Se dizia que era crente mas não sabia rezar

E Santo Cristo há muito não ia pra casa
E a saudade começou a apertar
"Eu vou me embora, eu vou ver Maria Lúcia
Já tá em tempo de a gente se casar"

Chegando em casa então ele chorou
E pro inferno ele foi pela segunda vez
Com Maria Lúcia Jeremias se casou
E um filho nela ele fez

Santo Cristo era só ódio por dentro
E então o Jeremias pra um duelo ele chamou
Amanhã às duas horas na Ceilândia
Em frente ao lote 14, é pra lá que eu vou

E você pode escolher as suas armas
Que eu acabo mesmo com você, seu porco traidor
E mato também Maria Lúcia
Aquela menina falsa pra quem jurei o meu amor

E o Santo Cristo não sabia o que fazer
Quando viu o repórter da televisão
Que deu notícia do duelo na TV
Dizendo a hora e o local e a razão

No sábado então, às duas horas,
Todo o povo sem demora foi lá só para assistir
Um homem que atirava pelas costas
E acertou o Santo Cristo, começou a sorrir

Sentindo o sangue na garganta,
João olhou pras bandeirinhas e pro povo a aplaudir
E olhou pro sorveteiro e pras câmeras e
A gente da TV que filmava tudo ali

E se lembrou de quando era uma criança
E de tudo o que vivera até ali
E decidiu entrar de vez naquela dança
"Se a via-crucis virou circo, estou aqui"

E nisso o sol cegou seus olhos
E então Maria Lúcia ele reconheceu
Ela trazia a Winchester-22
A arma que seu primo Pablo lhe deu

"Jeremias, eu sou homem. coisa que você não é
E não atiro pelas costas não
Olha pra cá filha-da-puta, sem-vergonha
Dá uma olhada no meu sangue e vem sentir o teu perdão"

E Santo Cristo com a Winchester-22
Deu cinco tiros no bandido traidor
Maria Lúcia se arrependeu depois
E morreu junto com João, seu protetor

E o povo declarava que João de Santo Cristo
Era santo porque sabia morrer
E a alta burguesia da cidade
Não acreditou na história que eles viram na TV

E João não conseguiu o que queria
Quando veio pra Brasília, com o diabo ter
Ele queria era falar pro presidente
Pra ajudar toda essa gente que só faz...

Sofrer...

Nossa, eu lembro que demorou um pouquinho pra eu decorar essa musica.
Fazia um tempo que não ouvia. Icon_e_smile
Responder
 #28
(31/10/2012, 15:20)Kawaiiara Escreveu: Nossa, eu lembro que demorou um pouquinho pra eu decorar essa musica.
Fazia um tempo que não ouvia. Icon_e_smile

Incrível você ter conseguido decorar, não consegui e já faz um tempo que ouço com bastante freqüência essa música.
Responder
 #29
(31/10/2012, 15:36)leokun Escreveu: Incrível você ter conseguido decorar, não consegui e já faz um tempo que ouço com bastante freqüência essa música.

Eu decorei! Icon_e_biggrin
Não esqueço até hoje.
Responder
 #30
(31/10/2012, 15:38)Kawaiiara Escreveu: Eu decorei! Icon_e_biggrin
Não esqueço até hoje.

A única que consegui decorar um pouco é Vento no Litoral.
Responder
Páginas (10): « Anterior 1 2 3 4 5 ... 10 Próximo »

Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes