Critérios de Avaliação, Quais os seus ?


Tópico em 'Discussões gerais' criado por chriss em 11/04/2014, 14:34.
Páginas (7): « Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo »
69 respostas neste tópico
 #31
A primeira coisa que penso quando se fala em críterios de avaliação é que ter critérios muito rígidos ou julgar todo tipo de obra com os mesmos critérios é insensato.
Responder
 #32
Eu julgo por critérios espirituais

A jc staff por exemplo é um estúdio demoníaco
Responder
 #33
(05/06/2014, 13:58)jasque Escreveu: Eu julgo por critérios espirituais

A jc staff por exemplo é um estúdio demoníaco

E a Kyonai e a Shaft? Icon_lolIcon_lol
Responder
 #34
Normalmente acham que meu critério é o enredo acima de tudo. Mas não é verdade.

Eu diria que meu critério principal é como um história é contada através de animação. Explico.

Uma história seja ela qual for, é limitada pelas ferramentas que o meio no qual ela é contada oferece. Cinema, séries de TV, livros, animes todos tem suas peculiaridades, pontos fortes e fracos. Mas normalmente as pessoas julgam todos eles sobre os mesmos critérios, o que considero falho.

No caso específico de animes, o enredo apesar de importante, é secundário em relação de como ele é contado através da animação. Afinal é isso que define um anime. Um anime, não é cinema, nem um livro. Animação pode ir visualmente onde o cinema não pode ir (pelo menos não hoje), uma das características da animação desde seus primórdios é ser imaginativo. E isso abre um leque de ferramentas narrativas que um filme não tem a disposição. Um bom uso das características da animação para contar uma boa história, é para mim o principal critério para qualquer avaliação coerente de um anime. Não falo de ser bem animado no quesito fluidez, isso é apenas um dos aspectos possíveis e que podem ser bem usados. Frames parados e outras táticas, por exemplo, podem ser usados com muita eficácia por quem sabe o que está fazendo (Vide os OVAs de Black Jack).

Por isso normalmente, considero adaptações em geral um desserviço. São muitas apegadas as convenções do seu meio de origem para serem realmente algo digno de nota. Realmente muito poucas conseguiram ir além da mediocridade neste aspecto.

Um livro, uma novel, não se faz só pela sua história. A matéria prima com o qual a história é contada são palavras, frases, letras, e em como usa elas influencia bastante na qualidade do livro. Um escritor é um artista das palavras, frases, expressões. Um diretor de cinema (falo do diretor, mas no caso de cinema envolve várias pessoas) é um artista por trás da câmera, de como filmar uma cena. Um animador é um artista em como fazer uma cena em animação, e isso vem com todas as peculiaridades do meio junto.

Mas uma diferença crucial entre livros e o resto, é que normalmente o livro é a visão de um único artista, onde o cinema, animação tem vários artistas envolvidos, então o resultado final depende de uma harmonia entre várias pessoas (direção, fotografia, trilha sonora, atuação seja de atores ou dubladores e etc). Inclusive eu acho que este é o motivo de o cinema, animação raramente conseguir alcançar as dimensões da literatura, várias pessoas envolvidas dificultam o processo. Mas quando alcança pode até superar.

O TL;DR: O critério que considero principal é como a história é contada criativamente usando seu meio. No caso de animes, animação.
Responder
 #35
(05/06/2014, 14:58)Thanos Escreveu: Normalmente acham que meu critério é o enredo acima de tudo. Mas não é verdade.

Eu diria que meu critério principal é como um história é contada através de animação. Explico.

Uma história seja ela qual for, é limitada pelas ferramentas que o meio no qual ela é contada oferece. Cinema, séries de TV, livros, animes todos tem suas peculiaridades, pontos fortes e fracos. Mas normalmente as pessoas julgam todos eles sobre os mesmos critérios, o que considero falho.

No caso específico de animes, o enredo apesar de importante, é secundário em relação de como ele é contado através da animação. Afinal é isso que define um anime. Um anime, não é cinema, nem um livro. Animação pode ir visualmente onde o cinema não pode ir (pelo menos não hoje), uma das características da animação desde seus primórdios é ser imaginativo. E isso abre um leque de ferramentas narrativas que um filme não tem a disposição. Um bom uso das características da animação para contar uma boa história, é para mim o principal critério para qualquer avaliação coerente de um anime. Não falo de ser bem animado no quesito fluidez, isso é apenas um dos aspectos possíveis e que podem ser bem usados. Frames parados e outras táticas, por exemplo,  podem ser usados com muita eficácia por quem sabe o que está fazendo (Vide os OVAs de Black Jack).

Por isso normalmente, considero adaptações em geral um desserviço. São muitas apegadas as convenções do seu meio de origem para serem realmente algo digno de nota. Realmente muito poucas conseguiram ir além da mediocridade neste aspecto.

Um livro, uma novel, não se faz só pela sua história. A matéria prima com o qual a história é contada são palavras, frases, letras, e em como usa elas influencia bastante na qualidade do livro. Um escritor é um artista das palavras, frases, expressões. Um diretor de cinema (falo do diretor, mas no caso de cinema envolve várias pessoas) é um artista por trás da câmera, de como filmar uma cena. Um animador é um artista em como fazer uma cena em animação, e isso vem com todas as peculiaridades do meio junto.

Mas uma diferença crucial entre livros e o resto, é que normalmente o livro é a visão de um único artista, onde o cinema, animação tem vários artistas envolvidos, então o resultado final depende de uma harmonia entre várias pessoas (direção, fotografia, trilha sonora, atuação seja de atores ou dubladores e etc). Inclusive eu acho que este é o motivo de o cinema, animação raramente conseguir alcançar as dimensões da literatura, várias pessoas envolvidas dificultam o processo. Mas quando alcança pode até superar.

O TL;DR: O critério que considero principal é como a história é contada criativamente usando seu meio. No caso de animes, animação.
Escorreu uma lágrima aqui Icon_lolIcon_lolIcon_lol
Zoeira a parte, foi algo que discutimos muito quando falamos de mídias inferiores, na qual você criticou bastante as LNs  Icon_lol

@Hajimee twitou, mas como sei que ele não vai postar aqui HAHA!
[Imagem: BpYp5xJIAAAx4Ut.jpg]
Responder
 #36
(05/06/2014, 15:14)chriss Escreveu: Escorreu uma lágrima aqui Icon_lolIcon_lolIcon_lol
Zoeira a parte, foi algo que discutimos muito quando falamos de mídias inferiores, na qual você criticou bastante as LNs  Icon_lol

@Hajimee twitou, mas como sei que ele não vai postar aqui HAHA!
Spoiler: Imagem  
[Imagem: BpYp5xJIAAAx4Ut.jpg]

Morri de rir quando vi esse tweet cara, sério Icon_lolIcon_lolIcon_lolIcon_lolIcon_lolIcon_lolIcon_lolIcon_lol sensacional Icon_lolIcon_lolIcon_lolIcon_lolIcon_lol
Responder
 #37
Than-chan conseguiu expressar exatamente o que eu penso. ''Qual o melhor jeito de contar uma história através de uma sequencia de desenhos?'', essa é a pergunta que o animador deve responder.

Na maioria das adaptações que nós vemos hoje, principalmente de manga shounens, o diretor simplesmente usa o manga como storyboard e os animadores simplesmente fazer os personagens se mexerem. Como resultado temos animes animados por ninguém e dirigidos por ninguém. E a pergunta que deveria ser respondida fica no ar...

Agora quando vemos nomes como Masaki Yuaasa, Yo Yoshinari, Yutaka Nakamura, você sabe que ali tem algo diferente, um jeito único de levar a história ao espectador.

E a animação nem precisa ser excepcional para cumprir o seu papel. Esses dias eu tava lendo Aku no Hana e finalmente consegui entender o porque do uso de rotoscopia. Não foi uma simples escolha aleatória e infeliz, o direto queria usar o uncanny valley para nos inserir no ambiente de estranheza no qual o protagonista se sentia. Quando essa luz acendeu na minha cabeça eu vi o quanto o Hiroshi Nagahama foi genial.
Responder
 #38
(05/06/2014, 16:14)Bruno Jordani Escreveu: Than-chan conseguiu expressar exatamente o que eu penso. ''Qual o melhor jeito de contar uma história através de uma sequencia de desenhos?'', essa é a pergunta que o animador deve responder.

Na maioria das adaptações que nós vemos hoje, principalmente de manga shounens, o diretor simplesmente usa o manga como storyboard e os animadores simplesmente fazer os personagens se mexerem. Como resultado temos animes animados por ninguém e dirigidos por ninguém. E a pergunta que deveria ser respondida fica no ar...

Agora quando vemos nomes como Masaki Yuaasa, Yo Yoshinari, Yutaka Nakamura, você sabe que ali tem algo diferente, um jeito único de levar a história ao espectador.

E a animação nem precisa ser excepcional para cumprir o seu papel. Esses dias eu tava lendo Aku no Hana e finalmente consegui entender o porque do uso de rotoscopia. Não foi uma simples escolha aleatória e infeliz, o direto queria usar o uncanny valley para nos inserir no ambiente de estranheza no qual o protagonista se sentia. Quando essa luz acendeu na minha cabeça eu vi o quanto o Hiroshi Nagahama foi genial.
Se e os diretores e fãs pensassem assim teria menos buthurt com as adaptações e algumas coisas existiriam.
Além dos diretores os fãs também são um pé no saco,as vezes querem tudo igualzinho no original, não conseguem aceitar mudanças que farão bem as obras.
Eu já tive que adaptar um romance para um peça de teatro, era algo amador mas me deu uma ideia de como adaptar um obra é complicado, então se fosse escolher entre dirigir uma obra original e adaptar uma obra, escolheria o primeiro Icon_lol
Responder
 #39
No cinema temos exemplos como Frankenstein que mudam radicalmente a obra original e dá certo, ainda que gere controversia. Parece que otakus são mais frescos com isso...
Responder
 #40
(05/06/2014, 13:59)chriss Escreveu: E a Kyonai e a Shaft? Icon_lolIcon_lol

Esses são piores, porque tem devotos fanáticos

(05/06/2014, 14:58)Thanos Escreveu: Normalmente acham que meu critério é o enredo acima de tudo. Mas não é verdade.

Eu diria que meu critério principal é como um história é contada através de animação. Explico.

Uma história seja ela qual for, é limitada pelas ferramentas que o meio no qual ela é contada oferece. Cinema, séries de TV, livros, animes todos tem suas peculiaridades, pontos fortes e fracos. Mas normalmente as pessoas julgam todos eles sobre os mesmos critérios, o que considero falho.

No caso específico de animes, o enredo apesar de importante, é secundário em relação de como ele é contado através da animação. Afinal é isso que define um anime. Um anime, não é cinema, nem um livro. Animação pode ir visualmente onde o cinema não pode ir (pelo menos não hoje), uma das características da animação desde seus primórdios é ser imaginativo. E isso abre um leque de ferramentas narrativas que um filme não tem a disposição. Um bom uso das características da animação para contar uma boa história, é para mim o principal critério para qualquer avaliação coerente de um anime. Não falo de ser bem animado no quesito fluidez, isso é apenas um dos aspectos possíveis e que podem ser bem usados. Frames parados e outras táticas, por exemplo,  podem ser usados com muita eficácia por quem sabe o que está fazendo (Vide os OVAs de Black Jack).

Por isso normalmente, considero adaptações em geral um desserviço. São muitas apegadas as convenções do seu meio de origem para serem realmente algo digno de nota. Realmente muito poucas conseguiram ir além da mediocridade neste aspecto.

Um livro, uma novel, não se faz só pela sua história. A matéria prima com o qual a história é contada são palavras, frases, letras, e em como usa elas influencia bastante na qualidade do livro. Um escritor é um artista das palavras, frases, expressões. Um diretor de cinema (falo do diretor, mas no caso de cinema envolve várias pessoas) é um artista por trás da câmera, de como filmar uma cena. Um animador é um artista em como fazer uma cena em animação, e isso vem com todas as peculiaridades do meio junto.

Mas uma diferença crucial entre livros e o resto, é que normalmente o livro é a visão de um único artista, onde o cinema, animação tem vários artistas envolvidos, então o resultado final depende de uma harmonia entre várias pessoas (direção, fotografia, trilha sonora, atuação seja de atores ou dubladores e etc). Inclusive eu acho que este é o motivo de o cinema, animação raramente conseguir alcançar as dimensões da literatura, várias pessoas envolvidas dificultam o processo. Mas quando alcança pode até superar.

O TL;DR: O critério que considero principal é como a história é contada criativamente usando seu meio. No caso de animes, animação.

Em relação ao cinema a animação ainda tem a dificuldade que não dá pra repensar os planos na montagem. Digo, você pode ter horas de gravação em um filme para utilizar na edição, mas na animação você tem a maior trabalheira pra fazer alguns quadros, então tem que decidir bem antes o que vai fazer.

(05/06/2014, 16:44)HexWan Escreveu: No cinema temos exemplos como Frankenstein que mudam radicalmente a obra original e dá certo, ainda que gere controversia. Parece que otakus são mais frescos com isso...

Podiam tentar adaptações mais livres... digo, se for pra adaptar 300 capítulos em 12 episódios era melhor contar outra história com os mesmos personagens logo, ao invés de sair picotando e o espectador que não leu o mangá não entender nada por ter muita informação sendo jogada de uma vez.
Responder
Páginas (7): « Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo »

Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes